Hahnemühle – Impressão de Excelência

A Hahnemühle, que ostenta o seu orgulhoso galo há mais de 400 anos, é a nossa marca de referência para a impressão Giclée e Fine Art.

Muito naturalmente, o “papel” criado há 4 séculos está muito longe dos substratos de impressão usados na impressão moderna. Foi a capacidade de adaptação a uma nova era e a transição para o domínio digital – com mais sucesso do que qualquer outra marca – que faz da marca alemã, a líder de mercado nas belas-artes digitais em todo o planeta e aquela que mais vezes recomendamos aos nossos clientes.

UM BARITADO DE CLASSE…

Hahnemühle BARYTA FB 350

 

É um papel fine art muito famoso entre fotógrafos da “velha-guarda” (mas nã só!). Contém sulfato de bário.
 
Se aquilo que deseja é um papel de alto brilho, de elevadíssima qualidade, livre de ácidos ou lignina e com um acabamento altamente singular, esta é mesmo uma grande escolha.

O Hahnemühle Baryta FB é um papel branco brilhante com uma superfície extra lisa e revestimento ultra brilhante. Corresponde a um papel baritado clássico em quer em termos de estrutura, quer em ternos de superfície. A elevada gramagem (350g/m2) reforça o caráter tradicional deste papel, criando impressões visualmente superiores. O Hahnemühle Baryta FB é um papel muito procurado por fotógrafos com um passado na fotografia analógica.

O Hahnemühle Baryta FB 350g/m é um papel de elevada qualidade, capaz de produzir excelentes resultados que durarão certamente mais do que todos nós, sobretudo se os combinar com uma impressão de qualidade e a mais recente tecnologia de aplicação de tintas pigmentadas, tal como temos o orgulho de fazer na Pigmento.

STRUCTURE
Natural Fibres

SUBSTRATE
100% alfa-celulose

SURFACE
Glossy

WHITENESS
Branco elevado

OBA
Low content

WEIGHT
350gsm

ESPECIFICAÇÕES DETALHES / EXPLICAÇÃO

Tentamos manter todos os dados atualizados e corretos, mas se uma das especificações se apresentar como verdadeiramente crítica para a sua escolha ou decisão, verifique as especificações no site do fabricante em www.hahnemuehle.com

Structure: Natural Fibres

Os papéis são maioritariamente produzidos de uma das duas seguintes formas:

  • Os papéis revestidos com resina (RC ou resin coated). Estes usam menos fibra e substituem essa mesma fibra por resina (que é apenas um nome bonito para “plástico”). Isso significa que esses papéis são baratos, fortes e robustos, mas tendem a ser menos atraentes ao toque e a aceitar menos tinta. Tendem a ser muito populares nos mercados de consumo;
  • Os papéis à base de fibras naturais. São papéis tradicionais feitos sem plásticos e que usam apenas fibras vegetais. Tendem a aceitar mais tinta e têm uma aparência mais atraente. São os papéis preferidos da esmagadora maioria de nossos clientes e aqueles que usamos – exclusivamente – no nosso processo de impressão.
Substrato: 100% alfa-celulose

De que é feita a base de papel? As possibilidades incluem:

  • Pasta de celulose – também chamada de polpa de madeira ou pasta de madeira – é a forma mais comum (e mais barata) de produzir papel;
  • Alfa-celulose – a porção mais nobre da polpa de celulose. Vulgarmente testado para características de arquivo semelhantes às do algodão;
  • Algodão – a fibra mais comum para a produção de suportes para belas-artes (ou fine art). Leia mais sobre este assunto nas nossas FAQ.
  • Bambu, agave, cânhamo – alternativas ecologicamente melhores que o algodão. Muitas outras fibras vegetais (por exemplo amoreira) podem ser usadas para produzir papel com características arquivísticas.
Superfície: Brilhante

Na informação que passamos aos nossos clientes dividimos esta característica em seis grupos e nem sempre de acordo com aquilo que um fabricante escreve na embalagem.

  • Fosco (ou Mate) – liso ou com textura;
  • Brilho – semi-brilhante, brilhante e alto brilho;
  • Duo (frente e verso) – papéis especiais (como o Photo Rag Duo) que podem ser imprimidos com qualidade total em ambos os lados.
Tom de branco: Branco brilhante (104 CIE)

Definimos a “brancura” do papel, da seguinte forma:

  • Branco frio – um papel com uma tonalidade fria (azul);
  • Branco brilhante – um papel mais branco que os papéis de branco natural, mas sem a tonalidade azulada de um branco frio;
  • Branco (ou Branco natural) – um branco natural (não tão branco como o branco brilhante). A maioria dos rag caem nesta categoria;
  • Quente – um papel claramente mais quente (amarelo);
  • Perlescente – papel com um tom cinza quente (geralmente encontrado nos papéis metálicos).
OBA: Low content

OBA are the short form for Optical Brightening Agents – em português “Agentes de alvura” ou mesmo “agentes de brilho óptico” – são compostos químicos adicionados ao revestimento de alguns papéis. São usados para realçar a aparência da cor, branqueando o papel aumentando a quantidade de luz azul refletida e, como resultado, compensando os tons amarelos naturais. Diferentes papéis contêm diferentes níveis de OBAs, pode confirmar se um papel contém agentes de brilho óptico colocando uma folha sob uma luz ultravioleta, se ela indicar uma coloração roxa, então contém OBAs, quanto mais brilhante a luz roxa, mais OBAs no papel.

Em termos mais técnicos, um OBA, ou alvejante óptico, é uma anilina incolor, que absorve radiação ultravioleta e a emite como radiação visível. A presença do alvejante óptico no papel impõe uma reflexão predominante na região do azul do espectro, influenciando positivamente a reprodução de cores frias (verdes, azuis e derivadas destas), interferindo por isso negativamente na reprodução de cores quentes.

Peso: 350g/m2

A gramatura, gramagem ou peso de um papel é vulgarmente expresso em gramas por metro quadrado (g/m²).

Não é, tecnicamente, a mesma coisa que a espessura do papel, mas há obviamente correlação. Os papéis artísticos europeus estão geralmente em torno da marca dos 300g/m². Os papéis asiáticos, historicamente, tendem a ser mais leves e algures entre os100 e 200g/m².

Papéis com uma gramatura (ou gramagem) mais elevada, tendem a ter maior opacidade, ou seja, verá menos através deles.