Canson – Tradição na qualidade

Canson Rag Photographique

Surgida Mongolfier – sim, a família do primeiro aeróstato (que na verdade dá origem ao balão de ar quente estilizado que ainda hoje podemos ver no logótipo da Canson) – passou a Mongolfier et Canson em 1801, para 6 anos mais tarde se tornar Canson-Mongolfier.

Maker of some of the most famous fine art papers we can find on the market, it offers inkjet printing media with the same quality as traditional paper, but now adapted to modernity and the most demanding processes in terms of fidelity in color reproduction and permanence.

Canson Infinity logo

UM BARITADO DE CLASSE…

CANSON RAG PHOTOGRAPHIQUE 310

The Canson Rag Photographique é um papel branco para fotografia, ilustrações e muitos outros segmentos, 100% algodão e de qualidade superior.

 
Canson Rag Photographique
 
O excepcional tom branco suave, é alcançado durante a sua produção através da introdução de minerais naturais no processo. Foi especialmente desenvolvido para atender às exigências em termos de longevidade (ou permanência) e responde aos mais rigorosos requisitos apresentados pela comunidade artística.

O Canson Rag Photographique 310 (existe também a gramatura de 210g/m2, mas que não usamos na Pigmento) oferece uma superfície extra-suave, mate, de toque quase aveludado. Apresenta também uma dos mais elevados valores de Dmax actualmente disponíveis no mercado, tornando-o suporte ideal tanto para fotografias como para ilustração.

Pode encontrar este papel na oferta corrente da Pigmento, assim como parte personalizável do nosso pack de amostras.

Canson Rag Photographique 310 by Pigmento Coolectivo

STRUCTURE
Natural Fibres

SUBSTRATE
100% cotton

SURFACE
Mate/Suave

WHITENESS
Branco natural (89,80 CIE)

OBA
Sem OBAs

WEIGHT
310gsm

ESPECIFICAÇÕES DETALHES / EXPLICAÇÃO

Tentamos manter todos os dados atualizados e corretos, mas se uma das especificações se apresentar como verdadeiramente crítica para a sua escolha ou decisão, verifique as especificações no site do fabricante em www.canson-infinity.com

Structure: Natural Fibres

Os papéis são maioritariamente produzidos de uma das duas seguintes formas:

  • Os papéis revestidos com resina (RC ou resin coated). Estes usam menos fibra e substituem essa mesma fibra por resina (que é apenas um nome bonito para “plástico”). Isso significa que esses papéis são baratos, fortes e robustos, mas tendem a ser menos atraentes ao toque e a aceitar menos tinta. Tendem a ser muito populares nos mercados de consumo;
  • Os papéis à base de fibras naturais. São papéis tradicionais feitos sem plásticos e que usam apenas fibras vegetais. Tendem a aceitar mais tinta e têm uma aparência mais atraente. São os papéis preferidos da esmagadora maioria de nossos clientes e aqueles que usamos – exclusivamente – no nosso processo de impressão.
Substrato: 100% algodão

De que é feita a base de papel? As possibilidades incluem:

  • Pasta de celulose – também chamada de polpa de madeira ou pasta de madeira – é a forma mais comum (e mais barata) de produzir papel;
  • Alfa-celulose – a porção mais nobre da polpa de celulose. Vulgarmente testado para características de arquivo semelhantes às do algodão;
  • Algodão – a fibra mais comum para a produção de suportes para belas-artes (ou fine art). Leia mais sobre este assunto nas nossas FAQ.
  • Bambu, agave, cânhamo – alternativas ecologicamente melhores que o algodão. Muitas outras fibras vegetais (por exemplo amoreira) podem ser usadas para produzir papel com características arquivísticas.
Superfície: Mate / Suave

Na informação que passamos aos nossos clientes dividimos esta característica em seis grupos e nem sempre de acordo com aquilo que um fabricante escreve na embalagem.

  • Fosco (ou Mate) – liso ou com textura;
  • Brilho – semi-brilhante, brilhante e alto brilho;
  • Duo (frente e verso) – papéis especiais (como o Photo Rag Duo) que podem ser imprimidos com qualidade total em ambos os lados.
Tom de branco: Branco natural (89,80 CIE)

Definimos a “brancura” do papel, da seguinte forma:

  • Branco frio – um papel com uma tonalidade fria (azul);
  • Branco brilhante – um papel mais branco que os papéis de branco natural, mas sem a tonalidade azulada de um branco frio;
  • Branco (ou Branco natural) – um branco natural (não tão branco como o branco brilhante). A maioria dos rag caem nesta categoria;
  • Quente – um papel claramente mais quente (amarelo);
  • Perlescente – papel com um tom cinza quente (geralmente encontrado nos papéis metálicos).
OBA: Sem OBAs

OBA are the short form for Optical Brightening Agents – em português “Agentes de alvura” ou mesmo “agentes de brilho óptico” – são compostos químicos adicionados ao revestimento de alguns papéis. São usados para realçar a aparência da cor, branqueando o papel aumentando a quantidade de luz azul refletida e, como resultado, compensando os tons amarelos naturais. Diferentes papéis contêm diferentes níveis de OBAs, pode confirmar se um papel contém agentes de brilho óptico colocando uma folha sob uma luz ultravioleta, se ela indicar uma coloração roxa, então contém OBAs, quanto mais brilhante a luz roxa, mais OBAs no papel.

Em termos mais técnicos, um OBA, ou alvejante óptico, é uma anilina incolor, que absorve radiação ultravioleta e a emite como radiação visível. A presença do alvejante óptico no papel impõe uma reflexão predominante na região do azul do espectro, influenciando positivamente a reprodução de cores frias (verdes, azuis e derivadas destas), interferindo por isso negativamente na reprodução de cores quentes.

Peso: 310g/m2

A gramatura, gramagem ou peso de um papel é vulgarmente expresso em gramas por metro quadrado (g/m²).

Não é, tecnicamente, a mesma coisa que a espessura do papel, mas há obviamente correlação. Os papéis artísticos europeus estão geralmente em torno da marca dos 300g/m². Os papéis asiáticos, historicamente, tendem a ser mais leves e algures entre os100 e 200g/m².

Papéis com uma gramatura (ou gramagem) mais elevada, tendem a ter maior opacidade, ou seja, verá menos através deles.