E aquela coisa de o papel enrolar?

Porque é que o papel enrola?

O céu é azul, a água é molhada, o papel para impressão enrola! É um facto da vida. Sobretudo no que diz respeito a papéis para impressão a jacto de tinta (Inkjet), ainda mais para os papéis artísticos produzidos de forma mais artesanal e, claro, para papéis que “nasceram” de um rolo. Bom… na verdade todo o papel que usamos tem origem num rolo. É certo que pode ser cortado em rolos menores, rolos largos ou estreitos, folhas A1, A2, A3, A4, mas, a montante, estará sempre “O” rolo de papel. Para lá disto, devido ao grão do papel (a direcção para a qual a maioria das fibras de papel se orientam) e ao tipo de revestimento usado (que reagirá diferentemente ao papel devido a alterações de temperatura e humidade), o papel está destinado a enrolar. É parte inerente a todo o processo de produção e não é na verdade uma falha. Está intimamente relacionado com o processo de fabricação deste tipo de papéis. Em geral, os papéis revestidos com resina (RC ou resin coated) enrolam menos do que os baseados em fibras (FB ou "fibre based)), uma vez que a resina ajuda as fibras a resistirem ao “forte desejo” de enrolar! Na Pigmento usamos rolo em 95% das impressões que produzimos, mas como todas as impressões repousam antes da expedição, são embaladas e expedidas de forma plana (mesmo no A1), aquilo que chega a sua casa é uma impressão em papel plano. Deixadas muito tempo “soltas”, as folhas podem, nem sempre, enrolar um bocadinho. Factores como a humidade e temperatura contam. O tipo de papel conta, O peso da tinta – tantas vezes esquecido – ajuda.