Canson – Tradição na qualidade

CANSON ARCHES AQUARELLE RAG 310

Surgida Mongolfier – sim, a família do primeiro aeróstato (que na verdade dá origem ao balão de ar quente estilizado que ainda hoje podemos ver no logótipo da Canson) – passou a Mongolfier et Canson em 1801, para 6 anos mais tarde se tornar Canson-Mongolfier.

Produtora de alguns dos mais famosos papéis para belas artes que podemos encontrar no mercado, tem a nível da oferta dos suportes para impressão Inkjet a mesma qualidade do papel tradicional, mas agora adaptado à modernidade e aos processos mais exigentes em termos de fidelidade na reprodução de cores e na permanência.

Logótipo Canson Infinity

único e de acordo com a tradição

CANSON ARCHES AQUARELLE RAG 310

 

Canson ARCHES Aquarelle Rag 310

O Canson ARCHES Aquarelle Rag é reconhecido pela esmagadora dos artistas como um dos papéis para aguarela de maior prestígio, com uma história que se estende por muitos séculos de existência, representando tradição de excelência. Os mestres fabricantes de papel ARCHES® produzem papéis artísticos de alta qualidade desde 1492, e hoje a ARCHES® é a única fábrica de papel na França que usa uma máquina tradicional para fabrico de todos os seus papéis, incluindo , claro está, o ARCHES® Aquarelle Rag 310 (não usamos a gramatura de 210g/m2).
 
Usando a tradicional base de aguarela, o papel tem um grão natural uniforme e um acabamento com marcas de feltro. O ARCHES® Aquarelle Rag é fabricado exclusivamente com algodão, o que contribui para a beleza e toque natural do papel. A base branca pura não contém nenhum agente de branqueamento óptico (OBAs).

A camada dedicada à recepção das tintas de pigmentos permite a produção de impressões com uma extraordinária reprodução cromática, pretos profundos e brancos puros, oferecendo aos ilustradores, pintores, fotógrafos e, felizmente, aos impressores, a capacidade de criar impressões giclée com uma soberba faixa tonal, excelentes brilhos e tons médios.

É uma aposta da Pigmento na qualidade, a preços altamente competitivos, mas sempre sem qualquer espécie de compromisso da qualidade.

Pode colocar este papel no seu pack personalizado de amostras.

Família CANSON® INFINITY ARCHES® AQUARELLE RAG 310

ESTRUTURA
Fibras naturais

SUBSTRATO
100% algodão

SUPERFÍCIE
Mate/Textura

TOM DE BRANCO
Branco puro (96,76 CIE)

OBA
Sem OBAs

PESO
310g/m2

ESPECIFICAÇÕES DETALHES / EXPLICAÇÃO

Tentamos manter todos os dados atualizados e corretos, mas se uma das especificações se apresentar como verdadeiramente crítica para a sua escolha ou decisão, verifique as especificações no site do fabricante em www.canson-infinity.com

Estrutura: Fibras naturais

Os papéis são maioritariamente produzidos de uma das duas seguintes formas:

  • Os papéis revestidos com resina (RC ou resin coated). Estes usam menos fibra e substituem essa mesma fibra por resina (que é apenas um nome bonito para “plástico”). Isso significa que esses papéis são baratos, fortes e robustos, mas tendem a ser menos atraentes ao toque e a aceitar menos tinta. Tendem a ser muito populares nos mercados de consumo;
  • Os papéis à base de fibras naturais. São papéis tradicionais feitos sem plásticos e que usam apenas fibras vegetais. Tendem a aceitar mais tinta e têm uma aparência mais atraente. São os papéis preferidos da esmagadora maioria de nossos clientes e aqueles que usamos – exclusivamente – no nosso processo de impressão.
Substrato: 100% algodão

De que é feita a base de papel? As possibilidades incluem:

  • Pasta de celulose – também chamada de polpa de madeira ou pasta de madeira – é a forma mais comum (e mais barata) de produzir papel;
  • Alfa-celulose – a porção mais nobre da polpa de celulose. Vulgarmente testado para características de arquivo semelhantes às do algodão;
  • Algodão – a fibra mais comum para a produção de suportes para belas-artes (ou fine art). Leia mais sobre este assunto nas nossas FAQ.
  • Bambu, agave, cânhamo – alternativas ecologicamente melhores que o algodão. Muitas outras fibras vegetais (por exemplo amoreira) podem ser usadas para produzir papel com características arquivísticas.
Superfície: Mate / Textura

Na informação que passamos aos nossos clientes dividimos esta característica em seis grupos e nem sempre de acordo com aquilo que um fabricante escreve na embalagem.

  • Fosco (ou Mate) – liso ou com textura;
  • Brilho – semi-brilhante, brilhante e alto brilho;
  • Duo (frente e verso) – papéis especiais (como o Photo Rag Duo) que podem ser imprimidos com qualidade total em ambos os lados.
Tom de branco: Branco puro (96,76 CIE)

Definimos a “brancura” do papel, da seguinte forma:

  • Branco frio – um papel com uma tonalidade fria (azul);
  • Branco brilhante – um papel mais branco que os papéis de branco natural, mas sem a tonalidade azulada de um branco frio;
  • Branco (ou Branco natural) – um branco natural (não tão branco como o branco brilhante). A maioria dos rag caem nesta categoria;
  • Quente – um papel claramente mais quente (amarelo);
  • Perlescente – papel com um tom cinza quente (geralmente encontrado nos papéis metálicos).
OBA: Sem OBAs

OBA ou OBAs, sigla de Optical Brightening Agents – em português “Agentes de alvura” ou mesmo “agentes de brilho óptico” – são compostos químicos adicionados ao revestimento de alguns papéis. São usados para realçar a aparência da cor, branqueando o papel aumentando a quantidade de luz azul refletida e, como resultado, compensando os tons amarelos naturais. Diferentes papéis contêm diferentes níveis de OBAs, pode confirmar se um papel contém agentes de brilho óptico colocando uma folha sob uma luz ultravioleta, se ela indicar uma coloração roxa, então contém OBAs, quanto mais brilhante a luz roxa, mais OBAs no papel.

Em termos mais técnicos, um OBA, ou alvejante óptico, é uma anilina incolor, que absorve radiação ultravioleta e a emite como radiação visível. A presença do alvejante óptico no papel impõe uma reflexão predominante na região do azul do espectro, influenciando positivamente a reprodução de cores frias (verdes, azuis e derivadas destas), interferindo por isso negativamente na reprodução de cores quentes.

Peso: 310g/m2

A gramatura, gramagem ou peso de um papel é vulgarmente expresso em gramas por metro quadrado (g/m²).

Não é, tecnicamente, a mesma coisa que a espessura do papel, mas há obviamente correlação. Os papéis artísticos europeus estão geralmente em torno da marca dos 300g/m². Os papéis asiáticos, historicamente, tendem a ser mais leves e algures entre os100 e 200g/m².

Papéis com uma gramatura (ou gramagem) mais elevada, tendem a ter maior opacidade, ou seja, verá menos através deles.