E aquela coisa de o papel enrolar?

Porque é que o papel enrola?

O céu é azul, a água é molhada, o papel fotográfico enrola! É um facto da vida no que diz respeito a papéis para impressão a jacto de tinta, sobretudo com papéis artísticos feitos à mão e, claro, para papéis que “saíram” de um rolo. Na verdade, todo o papel tem origem num rolo. É certo que pode ser cortado em rolos menores, folhas A2, A3+, A3, A4, etc. mas, a montante, está sempre um rolo de papel.

Para lá disto, devido ao grão do papel (a direcção para a qual a maioria das fibras de papel se orientam) e ao tipo de revestimento usado (que reagirá diferentemente ao papel devido a alterações de temperatura e humidade), o papel está destinado a enrolar. É parte inerente a todo o processo de produção e não é na verdade uma falha propriamente dita. Diz apenas respeito ao processo de fabricação deste tipo de papéis.

Se realmente odeia a ondulação ou enrolamento do papel, existem algumas opções que podem minimizar este problema. Papéis de dupla face, sendo revestidos em ambos os lados, tendem a enrolar menos. Também o Museo Portfolio Rag, que não é realmente um papel de dupla face, possui um tratamento no verso que ajuda o papel a resistir a ondulações. Em geral, os papéis revestidos com resina (RC ou resin coated) enrolam menos do que os baseados em fibras (FB ou fibre based), uma vez que a resina ajuda as fibras a resistirem ao “forte desejo” de enrolar!